quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Política X Politicagem


Política é arte. Observe como os políticos fazem um teatro em época de eleições. Política hoje é a arte de ludibriar. Política séria, faz tempo que eu não vejo.” Essas frases eram uma resposta dada no sítio Yahoo! Respostas por um estudante à pergunta “O que é política?”.
Bem, como chegamos a este ponto é fácil saber, o que o estudante não sabe é que todos somos políticos, como definiu Aristótelis: o homem é por natureza um animal político. No nosso dia-a-dia fazemos muita política, e política séria!
O sentido dessa palavra se perde a partir do momento que só se enxerga ela como cargo / função, porque cai na análise superficial do senso comum que acha que quem faz política é só político e que eles fazem isso pra roubar o dinheiro do povo. Na sua origem e na realidade política é totalmente diferente disso.
Ela surgiu da própria necessidade humana de se relacionar uns com outros e com o mundo. Tanto que a condição sine qua non para existência da política é a pluralidade dos homens, pois seu objetivo é justamente organizar, regular, garantir o convívio dos diferentes em prol do bem comum. Quando encaminhamos uma reclamação para um órgão na tentativa de garantir um direito, estamos fazendo política; quando há muita gente pra entrar em um local e fazemos uma fila para evitar bagunça, também; assim como quando um vereador faz uma lei para melhorar as condições do município. Diferentemente do que pensa os mais desavisados, para o nosso bem, ela deve estar presente em nossas vidas, pois através dela conseguimos dirimir os conflitos dos mais simples e cotidianos aos maiores e mais complicados.
Normalmente acontece de a política ser confundida com politicagem, porque a questão da politicagem é muito veiculada pelos meios de comunicação e normalmente está associada ao Estado, então todos conhecem. Ainda não conseguimos entender o processo político como um todo, muito menos fazê-lo acontecer de verdade na esfera do governo em uma escala global e, comumente atribuímos à política ações que, na verdade, são o mais puro retrato da falta dela.
Em se tratando de Brasil, não é difícil entender porque ao invés de política nosso governo é conhecido mais pela politicagem. A cada gestão explode um (ou alguns) caso(s) de corrupção, muitos deles passam por intermináveis investigações que nada comprovam e, se comprovam, não se vê o indivíduo ou empresa sendo penalizados de fato. Porque a lógica é se é ladrão, tem que ir para a cadeia. Aqui temos a falta de punição adequada para coagir tais atos e preveni-los. Não à toa eles se tornaram corriqueiros.
Em âmbito internacional também há muita confusão em relação a este termo. Quando Bush invadiu o Iraque e desencadeou uma guerra por lá, essa atitude foi chamada e ainda hoje é conhecida como “política de guerra” daquele governo. Maior incongruência não poderia haver. Se há guerra é porque ali faltou política, na presença desta não deve haver imposição, utilização de força para fazer valer uma idéia, isto sucumbe a liberdade, e não há como fazer política sem liberdade. Por esse mesmo motivo, os governos ditatoriais não se utilizam da política, pois partem do individual para o coletivo pela imposição e pela força, suprimem liberdades, algo inadmissível. E para concordar com Hanna Arendt, “o perigo é a coisa política desaparecer do mundo”, pela confusão de achar que algumas atitudes contrárias à política são em si políticas. Para impedir o fim da política a tarefa será árdua. É necessário mudar uma imagem historicamente arraigada na mente das pessoas. O desafio é conscientizar aquele que diz odiar política de que sua atitude nesse momento nada mais é do que uma ação política, seu ato de se posicionar, mesmo erroneamente, revela sua liberdade de questionamento.
Ao tempo da conscientização da sua politicidade, deve-se também mostrar que quando ele se nega um ser político, aquele que se assume político tem muito mais condições de decidir sobre sua própria vida e a dele (ser teoricamente apolítico). Se nós nos assumíssemos como verdadeiros seres políticos, levando a sério todos os nossos direitos e obrigações, nos tornando indivíduos mais participativos na sociedade, dificultaríamos bastante a politicagem praticada pelo Estado e por muitos de nós.
Estaríamos mais atentos as atitudes individuais nos ambientes coletivos e fiscalizaríamos tudo o que é do interesse comum. Mas aí esbarramos na problemática da atual democracia: a democracia de massa, na qual o cidadão se reconhece, ou se quer reconhecer, mais como um consumidor do que como um cidadão propriamente. E como consumidor ele não tem interesses coletivos, se sua vida individual ou familiar está a contento, ser cidadão, de repente, se resume a votar.

POLÍTICA E POLITICAGEM

Nos dias atuais o que se vê mais no Brasil é a politicagem em detrimento da política. Certos políticos querendo aparecer abrem a boca e soltam uma infinidade de baboseiras, esquecendo-se de quando estiveram governando seus Estados fizeram à mesma prática. O senador Tasso Jereissati na sua arrogância habitual diz que secretariado do atual governador Cid Gomes é muito fraco. Em entrevista na estréia do programa Coletiva, o senador Tasso fez suas primeiras críticas ao governo estadual. Apesar de elogiar o governador Cid Gomes (PSB), Tasso Jereissati classificou o secretariado como “muito fraco” e disse que está chegando à hora de o PSB (Partido Socialista Brasileiro) - apontar falhas e fazer cobranças. O senador também atacou duramente a administração municipal de Fortaleza.Esquece citado cidadão que no governo das mudanças, slogan de seu governo o Ceará passou por momentos difíceis e teve as maiores privatizações acontecidas na terra de José de Alencar. Coelce, Telemar, Banco do Estado do Ceará (BEC) estão no rol das privatizações, cujo dinheiro seria para a previdência do Estado. Privatizaram tudo e a previdência a semente apodreceu. Deixou um legado para o Ceará obras faraônicas inacabadas, como Metrofor, Porto do Pecém, Castanhão entre outras que tinham previsão para conclusão em 1997 e já estamos em 2008 e nada.

Diferentes porém parecidos



Hoje no Brasil, se faz mais politicagem do que política. O que seria essa politicagem? Acordos milionários, troca de cargos, troca de apoios políticos e vários outros tipos de atos ilícitos que corrompem a política brasileira. Um caso recente de politicagem é a dificuldade de Lula de dar os cargos de seu governo para os partidos que lhe apoiaram nas eleições de 2006. Muita gente pra pouco cargo. Tanto que Lula foi obrigado a criar vários ministérios, chegando a mais de 30 ministros e secretários.
Política é o ato de representar o povo, lutar pelos interesses do povo. Coisa que raramente acontece, o que vemos é uma deformação da política. A políticagem acontece por debaixo dos panos, em restaurantes, em hotéis. É nessa deformação da política que nascem os mensalões, mensalinhos, caixas 2 e outros tipos de corrupção. Na troca de cargos políticos, só ganhou cargo quem apoiou o Lula nas eleições. Partidos de oposição, seja de esquerda como o P-SOL, PCB e o PSTU, ou de direita como DEM e PSBD, nenhum ganhou um cargo político. Nessa mesma políticagem, Mangabeira, que fez forte oposição a Lula, ganhou um cargo do tipo “não-faz-nada”.
É por essa politicagem que todos os deputados em plena madrugada de terça-feira estava trabalhando feito loucos para aumentar seus próprios salários. Coincidência ou não, a votação foi feita no dia da chegada do Papa ao Brasil. Enquanto todas as emissoras davam destaque a Sua Santidade, os deputados votavam se eles queriam receber mais ou não. Um claro exemplo de politicagem sem pudor.O que o Brasil precisa não é de combate a política, mas sim de combate a politicagem e os politiqueiros e seus descendentes. O Brasil precisa de uma política anti-politicagem.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Vamos exigir mais do nosso país


"Brasil ,mostra tua cara".


Politica:Liberdade e democracia para o povo escolher seus representantes.
Arte ou ciencia de governar.
Politicagem:interesses pessoais acima do interesse coletivo.
Ganância e capacidade para chegar onde quiser com objetivos baixos.
De inicio coloquei o significado do que seria politica e politicagem ,mas diariamente comos elas se relacionam?No Brasil não é muito dificil essa resposta,pois sabemos bem o tipo de plotica que os homens do poder estão fazendo.A culpa seria do povo?Da não compreensão do que faser nas eleições,de quem como e por que votar?Ou da simples acomodação e medo de saber.
No periodo de eleições vemos inumeras propragandas eleitorais de politicos que já conhecemos a longa data,por escandalos ,roubos etc.O comum é vermos que eles não vão se eleger,fasem politica suja,cert?Errado ,muitos conseguem se eleger fácilmente,como consequencia da mal mem[oria do brasileiro.
Homens nascem políticos já dizia Aristótelis.E é o certo ,todos nós fazemos politica diariamente,familia,amigos e financeiramente.Mas praticamos a política correta,ética e que não destroi nem a nossa nem a moral de quem está a nosso redor,isso é ser politico.Pessoa s de má indole(digamos assim)praticão a politicagem ,sem escrupulos sem idéia de que está afetando a vida de outro ser,pelos simples prazer de viajar de graça com dinheiro público.
90% dos políticos dão má fama aos outros 10%.será?Ser cidadão não é apenas votar,é votar consiente e depois cobrar de seus eleitos uma atitude políticamente correta,abrir os olhos e berrar seus direitos.